AMASE

ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DE SERGIPE

Acesso Rápido
TJSE

Portal
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

TJSE Intranet

Intranet
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

TJSE Webmail

Webmail
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

Portal
DIÁRIO DA JUSTIÇA

TRE-SE Intranet

Intranet
Tribunal Regional Eleitoral

Juiz Marcos de Oliveira Pinto é homenageado na Assembleia Legislativa
ARACAJU/SE - 20 de Novembro de 2018

dr marcos medalha1.JPG

O juiz de Direito Marcos de Oliveira Pinto recebe a homenagem


Uma carreira na magistratura de muita dedicação e uma atuação brilhante à frente do Departamento de Precatórios do Tribunal de Justiça de Sergipe, inclusive criando o Precatório Eletrônico,  inspiraram os deputados estaduais sergipanos a conceder a Ordem do Mérito Parlamentar ao Juiz de Direito Marcos de Oliveira Pinto, presidente da AMASE – Associação dos Magistrados de Sergipe.  A ourtoga acontece em Sessão Especial na Assembleia Legislativa de Sergipe, no final da tarde de segunda-feira, dia 19.
 
O autor da propositura, o deputado estadual George Passos (REDE) justificou que o levou a apresentar a concessão da Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar ao juiz de Direito Marcos de Oliveira Pinto. “Nestes 26 anos com enorme cabedal de experiências e de certa forma, eu diria, até um legado, sobretudo na área de precatórios neste estado. Dr. Marcos conseguiu fazer uma revolução na nossa visão, informatizando o setor, o Departamento de Precatórios foi instituído e ele foi ser o primeiro diretor na gestão do desembargador Luiz Mendonça como presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe; conseguiu organizar as listas e naquele momento quase 100 milhões de reais foram pagos às pessoas que venceram na justiça e estavam esperando”, disse o parlamentar, complementado que havia uma fila de credores de precatórios desde 2002.
 
dr marcos medalha.JPG

O homenageado com familiares


 
Diante dos familiares, colegas magistrados, parlamentares e amigos o juiz de Direito Marcos de Oliveira Pinto agradeceu a horária, mas não esqueceu de agradecer aos funcionários que estiveram com ele  à frente dos trabalhos, especialmente aos do Departamento de Precatórios que atuou com ele entre 2015 e 2016.
 
“Como não poderia deixar de ser, meu sentimento é de ALEGRIA, mas também de RESPONSABILIDADE. Honra-me, nesta Casa, que é do Povo, constituída por representantes eleitos pelo Povo, ser agraciado com a MEDALHA DA ORDEM DO MÉRITO PARLAMENTAR, como reconhecimento pelos trabalhos realizados na qualidade de Juiz-Gestor do Departamento de Precatórios do Tribunal de Justiça, na Gestão do seu então Presidente, Desembargador Luiz Antônio Araújo Mendonça, nos anos de 2015 e 2016”, afirmou.
 
O homenageado agradeceu também à Comissão de Credores de Precatórios e todos os interessados que, de um modo ou de outro, cobrando, dialogando, contribuíram para a realização do trabalho junto ao DEPREC. “Não foi fácil, mas tenho ciência e consciência de que a construção e desenvolvimento do Departamento de Precatórios é Institucional, cada um colaborando no seu tempo, com o propósito único de manter o nome do Tribunal de Justiça de Sergipe no nível de destaque que ele ocupa hoje no cenário nacional, “afirmou, em seu discurso (Leia abaixo a íntegra do discurso)
 
A Sessão Especial teve na formação da mesa  as presenças do Desembargador Ruy Pinheiro, vice-presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, e que representou o presidente do TJSE ; da Desembargadora Elvira Maria de Almeida Silva; do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luciano Bispo, do deputado Luciano Pimentel, além do deputado Georgeo Passos, autor da propositura, eo Coronel Carlos Rollemberg, representando o Comando da Polícia Militar.
 
Assembleia Legislativa: Medalha do Mérito Parlamentar

Data: 19.11.2018.

D I S C U R S O
Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe, DEPUTADO LUCIANO BISPO,
Excelentíssimo Senhor (PODER JUDICIÁRIO)________________________
Excelentíssimo Senhor (PODER EXECUTIVO)_______________________
Excelentíssimo Senhor Deputado GEORGE PASSOS, em nome de quem saúdo os demais integrantes da mesa.
Colegas magistrados e magistradas aqui presentes,
Meus familiares e amigos,
Minhas senhoras e meus senhores, 

Agradeço todas as dificuldades que enfrentei; não fosse por elas, eu não teria saído do lugar. As facilidades nos impedem de caminhar. Mesmo as críticas nos auxiliam muito.
Chico Xavier 
 
Como não poderia deixar de ser, meu sentimento é de ALEGRIA, mas também de RESPONSABILIDADE. Honra-me, nesta Casa, que é do Povo, constituída por representantes eleitos pelo Povo, ser agraciado com a MEDALHA DA ORDEM DO MÉRITO PARLAMENTAR, como reconhecimento pelos trabalhos realizados na qualidade de Juiz-Gestor do Departamento de Precatórios do Tribunal de Justiça, na Gestão do seu então Presidente, Desembargador Luiz Antônio Araújo Mendonça, nos anos de 2015 e 2016.

Esta honraria devo compartilhar e é por isso que inicio minha fala pelos agradecimentos.
Agradeço ao Deputado George Passos, autor da indicação do meu nome a tão honrosa homenagem, reconhecendo nele um parlamentar atuante, que trata de perto a temática do precatório. Do mesmo modo, agradeço aos seus pares que referendaram sua iniciativa e permitiram a realização desta solenidade.

Agradeço também ao Desembargador Luiz Mendonça pela confiança que me foi depositada e por seu apoio no desenvolvimento dos trabalhos daquele biênio.

Agradeço aos servidores e servidoras que integraram a minha Equipe junto àquele Departamento, podendo aqui citar os nomes da Chefe de Departamento, Marcella Trigeiros, bem como dos Chefes de Divisão, Augusto Medonça, Márcia dos Anjos e Diana Sousa, os quais, juntamento com os demais servidores e assessores, contribuíram para a consolidação de um trabalho que desde o início se mostrou desafiador, mas que, depois de realizado, deixou um legado extremamento positivo para o trato dos precatórios no Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe.
 
Agradeço aos colegas Juízes Auxiliares da Presidência,  o hoje Desembargador Diógenes Barreto e a Juíza Dauquiria de Melo Ferreira, pelo apoio incondicional e permanente de sempre.
Agradeço aos servidores da Modernização e da Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça, que foram fundamentais e essenciais no planejamento, desenvolvimento e colocação em produção dos sistemas de controle de tramitação e cálculo dos precatórios, observando-se os regimes geral e especial dos entes devedores, como também no planejamento, desenvolvimento e colocação em produção dos sistemas do Precatório Eletrônico e do RPV Eletrônico, que permitiram celeridade e eficiência tanto no trato dos precatórios como das requisições de pequeno valor.

Agradeço, ainda, à Comissão de Credores de Precatórios e todos os interessados que, de um modo ou de outro, cobrando, dialogando, contribuíram para a realização do trabalho junto ao DEPREC.

Não foi fácil, mas tenho ciência e consciência de que a construção e desenvolvimento do Departamento de Precatórios é Institucional, cada um colaborando no seu tempo, com o propósito único de manter o nome do Tribunal de Justiça de Sergipe no nível de destaque que ele ocupa hoje no cenário nacional.

Dentro desta ótica e objetivando fazer um resumo das principais realizações na gestão dos precatórios no biênio 2015/2016, na administração do Desembargador Luiz Mendonça, abordarei o que constou dos Relatórios anuais encaminhados à Presidência do Tribunal de Justiça, com relação a cada um daqueles períodos.

A visão será, portanto, no sentido de uma retrospectiva.

Pois bem, o RELATÓRIO relativo ao ano de 2015 foi apresentado em dezembro daquele ano. Nele, tratei da assunção às funções de Juiz Gestor e da formação da equipe de trabalho, como também da reorganização física das Divisões do Departamento de Precatórios e quantitativo de pessoal. Relatei, do mesmo modo, as duas visitas técnicas realizadas junto aos Setores de Precatório do Tribunal de Justiça do Ceará e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, onde fomos colher conhecimentos dos trabalhos realizados, respectivamente, pelo Juiz Eduardo Fontenele e pelo hoje Desembargador Ramon Tácito, magistrados experientes no trato dos precatórios e que muito contribuíram com as atividades que passaram a ser desenvolvidas no DEPREC.
 
Ainda no aludido Relatório, descrevemos os atos normativos baixados para o adequado tramite dos precatórios, a exemplo da Portaria nº 12/2015, que passou a disciplinar a expedição do Ofício  Precatório, e a Portaria nº 16/2015, que regulamentou a expedição individualizada do precatório, por credor, ainda que a execução tivesse sido proposta em litisconsórcio.
Discorremos também acerca do Comitê Gestor de Precatórios, tanto sua composição como as reuniões realizadas, bem como a celebração do Convênio entre o Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), o Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região (TRT20) e o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), que possibilitou a efetiva regularização dos repasses dos recursos para pagamento dos precatórios nos três Tribunais, com relação aos entes devedores em regime especial.

Relatamos a realização da primeira reunião do Comitê Estadual, cuja constituição se verificou através da Portaria nº 878/2015, publicada no Diário da Justiça Eletrônico de 06.10.2015.
Consta também do aludido Relatório os trabalhos relativos ao planejamento, desenvolvimento e colocação em produção do sistema de controle de precatório e sistema de RPV, temática acerca da qual destaco o que foi ali explicitado:

Desde fevereiro do ano em curso, ao constatar a inexistência de um sistema/instrumento/ferramenta de controle de precatório propriamente dito e em tempo real, de modo a dar confiabilidade das listas de cronologia de acordo com os entes que se encontravam sob regime especial de pagamento de precatórios, ou mesmo sob regime geral/comum, este Juiz Gestor instou a Presidência acerca da necessidade de se implementar sistema de controle a fim de, somente assim, possibilitar um trabalho de organização dos precatórios, obedecendo-se ao que estabelece o artigo 100 da Constituição Federal, o artigo 97 do ADCT (EC nº 62/2009) e a Resolução CNJ n. 115/2010, no que foi atendido, dando-se ao processo administrativo respectivo (de nº 2015/813) a urgência reclamada junto as Diretoria de Modernização e da Tecnologia da Informação – TI/TJSE.
 
Sob a supervisão deste Juiz Gestor, o sistema foi projetado em (04) quatro fases, quais sejam:
1ª Fase: Controle das entidades, créditos e listas;
2ª Fase: Precatório eletrônico;
3ª Fase: Digitalização do legado;
4ª Fase: Controle de saldos e alvarás.
Em setembro do ano em curso, a 1ª fase do sistema foi concluída e entrou na etapa de homologação durante todo o mês de outubro/2015. Em novembro a equipe do Departamento de Precatórios – DEPREC, participou de curso de treinamento para trabalhar com o novo sistema, que foi implantado no dia 25 de novembro do ano em curso, nos termos da Portaria nº 70/2015 – GP1 – Normativas, publicada no diário da Justiça n. 4359, de 26.11.2015, estando em funcionamento.
 
Há de se registrar, quanto a esta primeira 1ª Fase, que ela permite a movimentação processual dos precatórios, que antes simplesmente estavam inseridos junto ao sistema de controle processual do 2º grau, com manutenção das ferramentas de lançamento de informações, despachos e decisões, mas acrescentando diversas outras funcionalidades que são próprias dos precatórios, de modo a atender às suas peculiaridades, a exemplo do controle dos pedidos de antecipação, por idade e doença grave.

Ainda, diferentemente do que ocorria anteriormente, o novo sistema permite que o precatório ao ser protocolado junto ao Tribunal de Justiça somente ingresse na respectiva lista cronológica, com observância rigorosa de sua data de apresentação, quando for devidamente admitido, por se encontrar completo, com informações e peças regulares (Resolução CNJ n. 115/2010, art. 4º)
O sistema permite, do mesmo modo, a formação das listas de cronologia, de acordo com os regimes de pagamento a que estão submetidos os entes devedores, se especial ou geral/comum, como também dispõe de ferramenta de cálculos com base de dados, que possibilita a individualização e atualização de valores por credor, controle dos pagamentos, inclusive das parcelas prioritárias, bloqueios em decorrência de penhoras, atualização automática de valores, dentre outras especificidades constantes do mesmo.

Em prosseguimento, a 2ª Fase, ou seja, o Precatório Eletrônico, está prevista para implementação em março de 2016, seguindo-se à 3ª Fase, até meados de 2016, e a 4ª e última fase, que se refere ao controle de saldo e alvarás, que deverá ser implementada até dezembro/2016, sendo esta de extrema complexidade por envolver a participação das Instituições Bancárias onde se encontram situadas as contas com depósito de valores de precatórios sob gestão da Presidência do Tribunal de Justiça de Sergipe.

Por fim, agora quanto ao controle das Requisições de Pequeno Valor – RPV, de competência dos Juízos das Execuções, conforme Ato TJSE nº 630/2007, já se encontra em fase de homologação o sistema informatizado que possibilitará ao DEPREC o acompanhamento das expedições das RPVs em toda e qualquer unidade jurisdicional do Poder Judiciário do Estado de Sergipe, de modo a permitir não apenas o seu acompanhamento, mas acima de tudo eliminar o risco de pagamentos em duplicidade. A data de implementação dessa nova ferramenta está prevista para início de 2016.
 
Prosseguindo no apontado Relatório, informamos também as ações implementadas para a cobrança dos repasses dos entes devedores, bem como para pagamento dos pedidos de preferência pendentes, principalmente de anos pretéritos, pagamento na ordem cronológica e necessidade de implementar o pagamento através do ACORDO DIRETO relativo aos credores do Estado de Sergipe, por força da edição da Lei Estadual nº 8.032/2015, o Decreto do Executivo Estadual de nº 30.115/2015 e da Portaria Conjunta nº 01/2015/ESTADO DE SERGIPE/TJSE, assinada pelo Presidente do Tribunal de Justiça e pelo Governador do Estado.
Além da informação acerca das audiências de pagamento realizadas no ano de 2015, também registramos as providências necessárias à consolidação e ao aperfeiçoamento da Gestão de Precatórios pelo TJSE, dentre elas a implementação das três últimas fases do sistema de precatórios e a desvinculação dos Precatórios da Escrivania Judicial, a fim de que todo o seu trâmite passasse a se verificar exclusivamente junto ao Departamento de Precatórios.
 
Finalizado o primeiro ano de gestão, entramos no ano de 2016, que não se mostrou menos desafiador, afinal muito do que fora anteriormente projetado deveria ser implementado naquele segundo e último ano da gestão do Desembargador Luiz Antônio Araújo Mendonça.
 
O propósito de ir para casa almoçar antes das 15 horas, continuou sendo só um propósito. Na verdade, almoçávamos quase sempre no birô do nosso Gabinete e, nisso tínhamos o apoio e a companhia de nossa Equipe, notadamente da Chefe de Departamento e dos Chefes de Divisão.
 
O Relatório de final de gestão foi apresentado por mim ao Senhor Presidente do Tribunal de Justiça no mês de dezembro daquele ano, com destaque para o empenho e o trabalho realizado por toda a equipe do DEPREC. Dele, destaco as seguintes passagens:
Senhor Presidente, o presente Relatório objetiva discorrer acerca das principais ações empreendidas pelo Departamento de Precatórios do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, mas sem prejuízo das inúmeras outras atividades que são desenvolvidas por este Departamento nas ações postas em execução diariamente, notadamente no atendimento das partes, dos advogados, da atualização das informações junto ao sistema de controle de precatórios e no site do TJSE – Portal Precatórios, dentre outras.

Do mesmo modo, ao presente Relatório se somam as informações já prestadas por meio do Relatório encaminhado através do Ofício DPREC nº 1967/2015, datado de 18.12.2015, e protocolado perante esta Presidência em 18.12.2015.

Dentro desta ótica, iremos discorrer acerca da atual estrutura organizacional do DPREC, as inovações implementadas na gestão dos precatórios, o Comitê Gestor das Contas Especiais, o Comitê Estadual de Precatórios, da Câmara Nacional de Gestores de Precatórios, dos repasses financeiros pelos entes devedores, dos pagamentos de precatórios, além dos atos normativos expedidos e do acordo direto (Estado de Sergipe).
[...]
O presente relatório, portanto, reflete o empenho do Departamento de Precatórios, por toda a sua equipe, no cumprimento de sua missão institucional, com vistas à maior efetividade das ações empreendidas pelo Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe.
[…] O Precatório Eletrônico.
Dentro desta realidade, além do aprimoramento do Portal Precatórios, disponível no sítio eletrônico do Tribunal de Justiça, com informações ao público em geral sobre o repasse de valores, consulta de precatórios devidos por entidade devedora, bem como aos credores, de forma específica, acerca do posicionamento dos precatórios na lista cronológica, por entidade e por ente federativo, bem como atualização do formulário para requerimento das preferências constitucionais por idade ou doença grave, promoveu-se a entrada em produção do sistema de controle de precatórios.
Desenvolvido por módulos, a implantação do sistema que culminou com o PRECATÓRIO ELETRÔNICO foi fruto de um trabalho conjunto do Departamento de Precatórios, a Diretoria de Modernização e a Diretoria de Tecnologia da Informação, resultando num sistema que possibilita o controle na tramitação dos precatórios, das listas de cronologia, ferramenta de cálculos e de pagamentos.
 
Com a implementação do precatório eletrônico, todos os Ofícios precatórios passaram a ser enviados e geridos de forma totalmente eletrônica, trazendo a otimização dos trabalhos desenvolvidos pelas secretarias dos Juízos da Execução e do próprio Departamento de Precatórios, sem olvidar da própria redução de custos com cópias e remessa de documentos.
[…] Transferência dos precatórios para tramitação exclusivamente pelo DPREC.
Através da Resolução nº 17/2016, do Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, foram transferidos para o Departamento de Precatórios o processamento dos feitos de precatórios das Fazendas Públicas Federal, Estadual e Municipal, por suas administrações direta e indireta, que antes tramitavam por uma Escrivania Judicial do 2º Grau, em continuidade ao trabalho de estruturação do DEPREC, permitindo a padronização dos procedimentos, com resultados que objetivam a celeridade e a transparência dos atos atinentes aos processos administrativos dos precatórios.
[…] A digitalização dos precatórios físicos.
Integrante do projeto que resultou na entrada em produção do precatório eletrônico, a digitalização dos precatórios físicos em tramitação foi iniciado e regulamentado por meio da Portaria TJSE nº 78 – GP1 – Normativas, que versa justamente sobre a digitalização e posterior virtualização do acervo de precatórios físicos, tornando virtual a tramitação de todos os precatórios junto ao DPREC.
O processo de digitalização foi implementado após planejamento elaborado pelo Departamento de Precatórios e a Diretoria de Modernização, sendo posto em execução com realização de mutirão envolvendo servidores do DPREC e de outras unidades administrativas e judiciais, no período da tarde, com início em setembro do ano em curso e encerramento no mês de dezembro de 2016.
{FORAM DIGITALIZADOS 5.656 PROCESSOS}
[…] Requisição de Pequeno Valor – RPV Eletrônico.
 
O Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), através do Departamento de Precatórios (DPREC), em trabalho conjunto com a Diretoria de Modernização e Secretaria de Tecnologia, implantou o Sistema Eletrônico de Expedição e Controle da Requisição de Pequeno Valor (RPV Eletrônico). 
 
A nova ferramenta virtualizada possibilita a expedição e o controle dos pagamentos das RPV’s em todas as unidades judiciárias do Estado, além de permitir o acompanhamento e fiscalização dos pagamentos pela Presidência, como orienta o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 
O sistema permite a consulta das RPV’s pelo número do processo, pagas por Entidade, expedidas por ano e expedidas por competência. A consulta se faz mediante acesso ao Portal Precatórios, no sitio do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, por qualquer interessado, vez que aberto ao público em geral.
 
Prosseguindo no aludido Relatório apresentado no final de 2016, foram apontados os 11 (onze) atos normativos expedidos naquele ano, a exemplo da Portaria Normativa nº 11/2016, que implanta o sistema do RPV ELETRÔNICO e a Portaria Normativa nº 59/2016, que coloca em produção o PRECATÓRIO ELETRÔNICO.

Do mesmo modo, discorreu-se acerca das reuniões do Comitê Gestor de Precatórios, num total de 09 (nove) reuniões ao longo do biênio, o rateio e repasse de valores para pagamento de precatórios com relação ao TJSE, TRT20 e TRF5, bem como as três reuniões do Comitê Estadual, também ocorridas durante o referenciado período de gestão.
Mencionou-se a constituição da Câmara Nacional de Gestores de Precatórios, que o Tribunal de Justiça de Sergipe aderiu por ato do Desembargador Presidente Luiz Mendonça, figurando dentre os Tribunais que foram responsáveis pela sua concepção, e que se revela em um espaço de extrema importância para o Juiz Gestor de Precatórios, pelas discussões relativas ao tema e a troca de experiência entre os diversos Tribunais.
 
Do mesmo modo, discorreu-se acerca do trabalho realizado na cobrança dos repasses dos entes devedores em regime especial de precatórios, com as audiências designadas para tal finalidade e procedimentos administrativos instaurados, inclusive de sequestro.
Fruto de toda essa estruturação, os pagamentos de precatórios, seja quanto as antecipações constitucionais, ordem cronológica ou acordo direto, tiveram extremo impulsionamento, notadamente pelas inúmeras audiências de pagamento realizadas ao longo do biênio, bem como instauração do primeiro processo administrativo para pagamento de precatório por meio do acordo direto aos credores do Estado de Sergipe, iniciado com a publicação do Edital nº 01/2016, publicado no Diário da Justiça Eletrônico, acerca do qual foram assegurados recursos da ordem de R$ 80.000.000,00 (oitenta milhões de reais) para tal finalidade.
Por fim, já em conclusão, consignei no aludido Relatório que:
 
Dentro da sistemática implementada na Gestão de Vossa Excelência à frente do Tribunal de Justiça, o Departamento de Precatórios alcançou grau de evolução organizacional que possibilitou a movimentação financeira para fins de repasses de recursos aos demais Tribunais mediante ato de rateio – Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região e Tribunal Regional Federal da 5ª Região, bem como provisionamentos/pagamentos de precatórios, entre parcelas prioritárias (superpreferências) e cronologia, de montante superior a R$ 96.000.000,00 (noventa e seis milhões de reais), consoante demonstram os dados constantes deste Relatório.
[...]
Neste sentido, registro também que na atual Gestão do Tribunal de Justiça, o Departamento de Precatórios realizou um trabalho de estruturação que resultou numa rotina de pagamentos em que se primou pela segurança, pela transparência e pela eficiência das ações empreendidas, como inclusive restou reconhecido em Ata de reunião, datada do dia 12.12.2016, pelo Comitê Estadual de Precatórios e pelo Procurador Federal Ricardo Duarte de Melo, este em expediente que nos foi encaminhado pelo INSS (Ofício nº 00096/2016/GAB/PFSE/PGF/AGU).
[…]
Assim, em conclusão, no cumprimento de sua missão institucional, dentro de suas atribuições e objetivando a produção de resultados efetivos, as ações empreendidas pelo Departamento de Precatórios visou trazer celeridade e transparência na gestão dos precatórios, aproximando os interessados, credores e entes devedores, em todas as etapas necessárias à realização dos pagamentos e possibilitando a todos, inclusive ao público de forma geral, pleno conhecimento das questões relacionadas aos precatórios, mediante simples consulta ao Portal Precatórios, no sitio eletrônico do Tribunal de Justiça.
 
Traduzir em palavras toda essa caminhada nos faz reviver momentos de preocupação, mas também de alegrias. Avançamos no trato dos precatórios. Outros avanços devem acontecer, no propósito único e Institucional de bem servir à sociedade.

Finalizo aqui renovando os agradecimentos já realizados, e acrescentando agradecimentos especiais à minha família (minha esposa Meyre, meus filhos Leonardo, João Marcos e Paulo Henrique, minha irmã Jussara e meu cunhado Félix, como também minha sobrinha Priscyla e minha sobrinha-neta Jéssica), que se fazem presentes.

Faço um último agradecimento aos meus pais, que já não estão mais nesse plano existencial, destacando a figura da minha mãe, meu exemplo de vida, de coragem e de caráter. 
 
Muito obrigado.
 
Com Informações da Agência da Alese